html website templates

MINICURSOS

Minicurso 1:
Structural Controls on Hydrothermal Mineralization


Ministrante:
Thomas Blenkinsop
Professor in Earth Science
School of Earth and Ocean Sciences
Cardiff University, Wales

Mobirise

Período de Realização: 19 e 20/10/2019 em Campinas.
Horário:
 8h00min as 17h00min.
Carga-horária: 16 horas.
Vagas: mínimo 15 e máximo 30.
Valor: 300,00

  1. Rock deformation: a summary
    Displacements: the basis of structural geology
    Displacements and strain
    Stress
    Rheology
    Fluid flow in Deforming rocks
    Deformational Controls on ore bodies
  2. Faults and Fractures
    The deformation zone spectrum
    Fault zone models and permeability
    Fault and Fracture Networks, connectivity
    Conjugate and Polymodal faults
    Kinematic vs dynamic analysis of faults
    Slip and Dilation tendencies
    Case Studies
  3. New Approaches to Shear Zones
    Not all shear zones are simple: Pure, General and Simple shear
    A practical guide to modern shear zone analysis
    Case Studies
  4. Practical Topics
    1. Fault and fracture network analysis
    2. Kinematic Analysis
    3. Dynamic Analysis
    4. Use of mobile phone devices – practical hints
    5. A unified approach to working with orientated core
    6. Drones and 3D models

Minicurso 2:
Modelagem Hidrogeoquímica: Aplicações Ambientais


Ministrante:
Ricardo Perobelli Borba
UNICAMP

Mobirise

Período de Realização: 19 e 20/10/2019 em Campinas.
Horário:
 8h00min as 17h00min.
Carga-horária: 16 horas.
Vagas: mínimo 15 e máximo 30.
Valor: 200,00

  1. Objetivos
    O curso tem como objetivo fornecer noções teóricas e práticas sobre a modelagem hidrogeoquímica e suas aplicações na solução de problemas em geoquímica ambiental. No curso será utilizado o software livre PHREEQC (Versão 3) do USGS.
  2. Programa
    - Introdução;
    - Conceitos básicos em química de soluções aquosas;
    - Programas de computador para modelagem geoquímica;
    - Preparação e construção de um modelo geoquímico;
    - Tipos de modelos geoquímicos e de aplicações em geoquímica ambiental e Hidrogeoquímica;
    - Exemplos de aplicações em drenagem ácida de mina, isolamento de resíduos radioativos, transporte de contaminantes, remediação de aquíferos, tratamento de água, sistemas naturais, experimentos de laboratório;
    - Exercícios de Modelagem Hidrogeoquímica.
  3. Bibliografia Básica
    - Alpers, C.N., Nordstrom, D.K., 1999. Geochemical modeling of water–rock interactions in mining environments. In: Plumlee, G.S., Logsdon, M.J. (Eds.), The Environmental Geochemistry of Mineral Deposits. Part A: Processes, Techniques, and Health Issues. Rev. Econ. Geol. 6A, 289-323.

    - Appelo, C.A.J.: 2005. Geochemistry, groundwater and pollution. Taylor & Francis; 2° edition, 649p.

    - Betke, C. M. Geochemical Reaction Modeling. Oxford University Press. 1996.

    - Merkel, B., & Planer-Friedrich, B. 2012. Geoquímica de águas subterrâneas: um guia prático de modelagem de sistemas aquáticos naturais e contaminados. Campinas, editora da Unicamp.

    - Nordstrom, D.K., Alpers, C.N., 1999. Geochemistry of acid mine waters. In: Plumlee, G.S., Logsdon, M.J. (Eds.), The Environmental Geochemistry of Mineral Deposits. Part A: Processes, Techniques, and Health Issues. Rev. Econ. Geol. 6A, 133-160.

    - Parkhurst, D. L., & Appelo, C. A. J. 2013. Description of input and examples for PHREEQC version 3: a computer program for speciation, batch-reaction, one-dimensional transport, and inverse geochemical calculations (No. 6-A43). US Geological Survey.

    - Zhu, C.; Anderson, G. 2002. Environmental applications of geochemical modeling. Cambridge, New York, 284p.
  4. Recomenda-se que os participantes que tragam notebook para a parte prática do curso.

Minicurso 3:
Índices Geomorfológicos aplicados às Geociências


Ministrantes:
Prof. Dr. Pedro Val (UFOP)
Prof. Dr. Clauzionor Lima da Silva (UFRRJ)

Mobirise

Período de Realização: 19 e 20/10/2019 em Campinas.
Horário:
 8h00min as 17h00min.
Carga-horária: 16 horas.
Vagas
: mínimo 12 e máximo 20.
Valor: 300,00

  1. Programa

    - Componentes básicos para análise da paisagem;
    - Características diagnósticas de equilíbrio e desequilíbrio da paisagem;
    - Análise da topografia: declive, curvatura (curva hipsométrica), desnível, índice hipsométrico, análise de interflúvios e vertentes; (uso de software de linguagem de programação Matlab);
    - Estudo em Perfil Longitudinal de Rios (PLR) para investigação geomorfológica e tectônica:
    - Conceitos e definições: declividade (slope), índices ks e ksn e de concavidade em perfis longitudinais em rios; relação entre declividade e área da bacia de drenagem (slope-area plots);
    - Técnicas de obtenção de PLR via Matlab;
    - Interpretação das rupturas de declive (knickpoints): distribuição e seus fatores de possíveis relações de gênese;
    - Modelos numéricos de evolução de paisagem;
    - Exemplos de estudos desenvolvidos no sudeste brasileiro, Amazônia e Andes.

Minicurso 4:
Isótopos Cosmogênicos em Geociências: teoria e aplicação


Ministrantes:
Prof. Dr. Pedro Val (UFOP)
Prof. Dr. Daniel Peifer

Mobirise

Período de Realização: a definir.
Horário: 8h00min as 17h00min.
Carga-horária: 16 horas.
Vagas: mínimo 10 e máximo 20.
Valor: 300,00

  1. CONTEÚDO:

    (1) Introdução aos nuclídeos cosmogênicos (NC): os raios cósmicos e a cascata atmosférica de colisões

    (2) Tipos de nuclídeos cosmogênicos (in-situ versus meteórico), sua detecção e aplicações. Panorama Geral de Aplicações em Geociências

    (3) Como medir NC: Espectometria de Massa com Aceleradores (AMS)

    (4) 25 Anos de Nuclídeos Cosmogênicos em Geociências: avanços nas idades e taxas de evolução de paisagem

    (5) Requisitos e protocolos para o preparo físico e químico de amostras de quartzo para análises da abundância de 10Be, 26Al e 21Ne

    (6) Aplicação de NC:
    6a. Definição do propósito investigativo
    6b. Estratégias de amostragem para NC: cuidados necessários, pressupostos e estudos pré-campo
    6c. Taxas de produção de NC e fatores de correção
    6d. Redução de dados
    6e. Princípios da análise da abundância de NC: equações básicas para as diferentes aplicações dos NCs em Geociências

    (7) Datação de exposição de superfície (exposure dating):
    7a. Aplicação em superfícies ativamente erodidas
    7b. Datação de superfícies estáveis: terraços, paleo-superfícies, leitos fluviais 7c. Aplicação de datação por perfis (depth-profiles)

    (8) Datação de soterramento (burial dating)

    (9) Método das isócronas

    (10) Taxas de denudação e soterramento
    10a. Quantificação de taxas de denudação milenar médias em bacias hidrográficas 10b. Quantificação de taxas de denudação milenar de interflúvios
    10c. Quantificação de taxas de soterramento.

    (11) Conceitos sobre denudação e os seus controles: importância e oportunidades para o uso de NC.

Minicurso 5:
Análise de terrenos Tecnogênicos: Processos de Formação, Classificação, Mapeamento, Geomorfologia e Estratigrafia


Ministrante:
Alex Ubiratan Goossens Peloggia
Geólogo, Doutor em Ciências, Pesquisador Independente Membro da Comissão Brasileira de Estratigrafia 

Mobirise

Data de Realização: 19/10/2019 em Campinas.
Horário:
 8h00min as 17h00min.
Carga-horária: 8 horas.
Vagas: mínimo 10 e máximo 30.
Valor: R$ 150,00

  1. Programa

    1. Conceitos fundamentais relativos à geodiversidade tecnogênica
    2. Métodos e fontes para o estudo de terrenos tecnogênicos
    3. O ciclo geológico antropogênico e os processos e formação de terrenos tecnogênicos
    4. Classificação e mapeamento de terrenos tecnogênicos
    5. Formas de relevo e modelados tecnogênicos
    6. Estratigrafia de terrenos tecnogênicos e o Antropoceno
    7. O estrato geológico humano ou arqueosfera
    8. A geodiversidade tecnogênica como categoria de patrimônio
    9. Estudos de casos:
    - aluviões antropogênicos no Vale do Paraíba
    - o estrato geológico urbano da Região Metropolitana de São Paulo
    - terrenos tecnogênicos na RMSP

  2. Referências Recomendadas

    - CATHCART, R.B. 2011. Anthropic rock: a brief history. History of Geo- and Space Sciences, 2: 57-74. http://dx.doi.org/10.5194/hgss-2-57-2011
    - EDGEWORTH, M. 2018. Humanly modified ground. In: D.A. Della Sala & M.I. Goldstein(eds) The Encyclopaedia of the Anthropocene, Oxford, Elsevier, v.1, p. 157-161. http://dx.doi.org/10.1016/B978-0-12-409548-9.09999-1
    - FORD, J..; KESSLER, H.; PRICE, S.J.; HUMPAGE, A.J. 2010. An enhanced classification for artificial ground. Keyworth: British Geological Survey, Keyworth, 32 p. (British Geological Survey Open Report OR/10/036).
    - FORD, J.R.; PRICE, S.J.; COOPER, A.H.; WATERS, C.N. 2014. An assessment of lithostratigraphy for anthropogenic deposits. In: C.N. Waters, J.A. ZALASIEWICZ,. M. Williams, M.A. Ellis, A.M. SNELLING (eds.) A stratigraphical basis for the Anthropocene. London, Geological Society (Special Publication 395), p. 55-89. https://doi.org/10.1144/SP395.12
    - JAMES, L.A. 2018. Ten conceptual models of large-scale legacy sedimentation: a review. Geomorphology, 317: 199-217. https://doi.org/10.1016/j.geomorph.2018.05.021
    - OLIVEIRA, A.M.S.; PELOGGIA, A.U.G. 2014. The Anthropocene and the Technogene: stratigraphic temporal implications of the geological action of humankind. Quaternary and Environmental Geosciences, 5(2): 103-111. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i2.34828
    - OLIVEIRA, A.A.; OLIVEIRA, A.M.S.; ANDRADE, M.R.M. 2014. Depósitos tecnogênicos como testemunhos e indicadores de processos geológicos em área urbana degradada em Guarulhos, SP. Quaternary and Environmental Geosciences, 5(1): 12-27 http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i1.34737
    - PELOGGIA, A.U.G. 2017. O que produzimos sob nossos pés? Uma revisão comparativa dos conceitos fundamentais referentes a solos e terrenos antropogênicos. Revista UNG - Geociências, 16(1): 102-127.
    - PELOGGIA, A.U.G. 2018. Geological classification and mapping of technogenic (artificial) ground: a comparative analysis. Revista do Instituto Geológico, 39(2): 1 – 15. http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20180005
    - PELOGGIA, A.U.G. 2018. The Rock Cycle of the Anthopocene: inserting human agency into the Earth System. Revista do Instituto Geológico, 39(1) 1-13. http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20180001
    - PELOGGIA, A.U.G. 2018. Os registros geológicos da agência humana como categoria temática de patrimônio. In: SBG, SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO E HISTÓRIA DE CIÊNCIAS DA TERRA, 8, Campinas, Anais, p. 614-620.
    - PELOGGIA, A.U.G. 2018. “New Awfull Changes: the human geological stratum rediscovered”: allowing art to talk about the Anthropocene. Revista do Instituto Geológico, 39(2): 91-101. http://dx.doi.org/10.5935/0100-929X.20180009
    - PELOGGIA, A.U.G.; OLIVEIRA, A.M.S.; OLIVEIRA, A.A.; SILVA, E.C.N.; NUNES, J.O.R. 2014. Technogenic geodiversity: a proposal on the classification of artificial ground. Quaternary and Environmental Geosciences, 5(1): 28-40. http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i1.34823
    - PELOGGIA, A.U.G.; SILVA, E.C.N.; NUNES, J.O.R. 2014. Technogenic landforms: conceptual framework and application to geomorphologic mapping of artificial ground and landscape as transformed by human geological action. Quaternary and Envorinmental Geosciences, 5(2): 67-81. http://dx.doi.org/10.5380/abequa.v5i2.34811
    - PELOGGIA, A.U.G.; ORTEGA, A.M.; EDGEWORTH, M.; LUZ, R.A. 2017. A expansão do estrato geológico urbano (arqueosfera) no leste do Estado de São Paulo: e relação entre História, Geografia, Geologia e Arqueologia no Antropoceno. Revista Brasileira de Geografia, 62(2): 25-52. https://doi.org/10.21579/issn.2526-0375_2017_n2_p25-52
    - PELOGGIA, A. U. G.; SAAD, A. R.; SILVA, R.V.; QUEIROZ, W. 2018. Processos de formação de terrenos e relevos tecnogênicos correlativos à urbanização: análise morfoestratigráfica e geoambiental aplicada na bacia do córrego Água Branca, Itaquaquecetuba (RMSP). Revista Brasileira de Geomorfologia, 19(2): 245-265 http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v19i2.1286
    - SANTOS, E.Q.G.; FERREIRA, A.T.S.; PELOGGIA, A.U.G.; SAAD. A.R.; OLIVEIRA, A.M.S.; SANTOS, M.S.T. 2017. Terrenos e processos tecnogênicos na área de proteção ambiental Cabuçu-Tanque Grande, Guarulhos (SP): análise, mapeamento e quantificação. Revista Brasileira de Geomorfologia, 18(4): 825-839. http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v18i4.1279
    - VITORINO, J.C.; ANDRADE, M.R.M.; PELOGGIA, A.U.G.; SAAD, A.R.; OLIVEIRA, A.M.S. 2016. Terrenos tecnogênicos do Jardim Fortaleza, bacia hidrográfica do córrego do Entulho, Guarulhos (SP): mapeamento geológico, estratigrafia, geomorfologia e arqueologia da paisagem. Revista UNG – Geociências 15(2): 33-60.
    - WATERS, C.N. 2018. Artificial ground. In: P.T. Bobrowsky & B. Marker (eds.) Encyclopaedia of Engineering Geology. Cham, Springer International, p. 1-15.   

Minicurso 6:
(Promovido pela ADIMB)

PRINCÍPIOS DE AGROGEOLOGIA TROPICAL


  1. APRESENTAÇÃO

    A agrogeologia é uma ciência interdisciplinar que aplica o conhecimento das geociências e das ciências agrárias a serviço da agricultura, tratando principalmente da influência da rocha original no desenvolvimento do solo agrícola e da aplicação de minerais para aumentar a qualidade dos solos. No ambiente tropical a agrogeologia estuda agrominerais regionais para a remineralização de solos e fornecimento de nutrientes para sistemas agrícolas.

  2. PÚBLICO ALVO PREFERENCIAL

    Geólogos, Engenheiros Agrônomos e pesquisadores de ciências agrárias.

  3. OBJETIVOS DO CURSO

    Ao concluir todos os módulos do curso, os participantes devem poder:
    • Compreender de forma geral a relação entre geologia e os solos agrícolas;
    • Definir uma base geológica e mineralógica de agrominerais visando identificar os recursos minerais para melhorar a qualidade do solo;
    • Assimilar aspectos fundamentais dos processos químicos, físico-químicos e mineralógicos da transformação de rochas em solos agrícolas, e por consequência as necessidades de cada tipo de solo e das culturas;
    • Entender o processamento de agrominerais e seu uso na agricultura e tomada de decisão da aplicação de quais rochas regionais poderiam ser usadas para quais solos e para quais culturas;
    • Conhecer fundamentos sobre o uso de ferramentas de exploração para identificar zonas agrogeológicas de produção e de consumo de agrominerais regionais com a finalidade de aumentar a produção e a qualidade de alimentos.

  4. MÉTODO

    Aulas expositivas, discussões em grupo e exercícios práticos

  5. CONTEÚDO E PROGRAMAÇÃO DO CURSO

    • Formação dos elementos químicos, sistemas solares e a vida;
    • Pedosfera;
    • Composição das rochas e distribuição de solos;
    • Necessidade de nutrientes das culturas;
    • Conceitos de agrogeologia, de agrominerais e sua classificação;
    • Biomas, solos e materiais de origem;
    • Centros de origem de plantas cultivadas;
    • Minerais primários e as plantas cultivadas;
    • Ciclos do carbono, nitrogênio e fósforo;
    • O papel do fósforo no crescimento das plantas;
    • Rochas fosfatadas sedimentares e ígneas: exploração e beneficiamento;
    • Potássio em minerais, rochas e solos;
    • O papel do K no crescimento das plantas;
    • Sais e silicatos de potássio: exploração e beneficiamento;
    • Enxofre, cálcio e magnésio nas rochas, solos e plantas;
    • O papel dos elementos nutrientes S, Ca e Mg no crescimento das plantas;
    • Manejo de fontes de S, Ca e Mg em solos agrícolas tropicais;
    • Carbonatos, sulfatos e silicatos de Ca e Mg: exploração e beneficiamento;
    • Geologia dos micronutrientes e seu papel na agricultura;
    • Construção de solos em ambiente tropical;
    • Revolução Verde e Revolução Sempre-Verde;
    • Novo solo tropical.

  6. PERFIL DO INSTRUTOR

    Eder de Souza Martins (http://lattes.cnpq.br/8160265101709215) é geólogo (1987), mestre (1991) e doutor em geologia (1999) pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente é pesquisador da Embrapa Cerrados desde 1997 e atua como professor e orientador de pós-graduação nos cursos de Geografia e de Ciências Ambientais da UnB. Atua nas áreas de pesquisa sobre fisiologia da paisagem, agrominerais regionais e zoneamento agrogeológico. Publicou mais de 150 artigos completos em periódicos científicos, organizou três livros e participou de 24 capítulos de livros. Participou da organização de eventos na área de solos e das três edições dos congressos de rochagem, em 1999, 2013 e 2016. Já coordenou cinco projetos sobre a caracterização de agrominerais silicáticos, desde 1999. Orientou 10 dissertações de mestrado, e 6 teses de doutorado.

  7. LOCAL

    O curso será realizado em Campinas/SP no Instituto de Geociências da UNICAMP, localizado na Rua Carlos Gomes, N º 250, Cidade Universitária, distrito de Barão Geraldo.

  8. INSCRIÇÕES

    Esse curso tem o limite de 30 vagas.
    A inscrição no curso pode ser feita através do preenchimento do formulário online, diretamente no site da ADIMB: http://www.adimb.org.br/cursos2019
    O pagamento da inscrição deverá ser feito somente após o preenchimento do formulário, através do sistema PagSeguro.
    Profissionais de empresas associadas à ADIMB podem entrar em contato através do email contato@adimb.org.br ou pelo Tel: 61 3326-0759 para informações sobre opções de faturamento.
    As inscrições que não forem pagas ou confirmadas por email até 10 dias antes do início do curso serão canceladas. 

TAXAS DE INSCRIÇÃO

CATEGORIAATÉ 30/09/2019DE 01 A 15/10/2019
ProfissionaisR$ 900,00R$ 1.100,00
Profissionais de empresa associada à ADIMB, inscritos no Simpósio e professoresR$ 750,00R$ 950,00
Estudantes de graduação e pós-graduaçãoR$ 350,00R$ 450,00

OBSERVAÇÕES

- Data limite para inscrição, pagamento e confirmação nos minicursos: 18/10/2019.

- PARA PARTICIPAR DOS MINICURSOS, É NECESSÁRIO ESTAR INSCRITO NO EVENTO.

- As vagas são limitadas e o preenchimento obedecerá a ordem de
opção e do pagamento da taxa de inscrição do Minicurso.

- A realização dos Minicursos está associada ao número mínimo de inscritos. No caso de não realização do Minicurso, o valor pago será integralmente restituído aos inscritos.

- Em caso de cancelamento da inscrição no Minicurso por parte do participante, por qualquer motivo até o dia 18/10/2019, a Comissão Organizadora devolverá 70% do valor do pago.

- CASO A DESISTÊNCIA OCORRA APÓS 18/10/2017, NÃO HAVERÁ RESSARCIMENTO DO VALOR DA INSCRIÇÃO.

Local do evento

Centro de Convenções da UNICAMP
Avenida Érico Veríssimo, 500
Cidade Universitária
Barão Geraldo - Unicamp
13083-854
Campinas – SP

Contato

Email:
geosudeste2019@gmail.com